MUDANÇAS ESTRUTURAIS DO EMPREGO NA ECONOMIA BRASILEIRA: 1996 E 2002 COMPARADOS

Autores

  • Silvio Massaru Ichihara Doutorando em Economia Aplicada - ESALQ/USP
  • Joaquim J.M. Guilhoto Departamento de Economia – Universidade de São Paulo REAL – University of Illinois
  • Márcio Guerra Amorim SENAI – Departamento Nacional

Resumo

Após a adoção do plano real, em 1994, e a consequente estabilização dos preços, as análises voltadas aos aspectos estruturais da economia brasileira ganharam importância. Dentre elas, destaca-se como assunto de fundamental relevância a questão do emprego e a capacidade de absorção do trabalho dentro da economia. Sob este enfoque, o presente trabalho analisa as mudanças da distribuição do emprego, considerando as alterações decorrentes na estrutura produtiva da economia nacional, entre os anos de 1996 e 2002. Para tanto, o método empregado baseia-se no uso das matrizes de insumo-produto e de sua teoria correspondente.

Os esforços deste trabalho concentraram-se na estimação da matriz de insumo-produto para ano de 2002 e nas análises comparativas que utilizaram diferentes técnicas e parâmetros. Como resultado, obteve-se uma série de indicadores que, quando relacionados, permitiram a formalização de suposições sobre a dinâmica do emprego de acordo com as mudanças tecnológicas, comerciais e estruturais do período considerado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-02-03

Como Citar

ICHIHARA, S. M.; GUILHOTO, J. J.; AMORIM, M. G. MUDANÇAS ESTRUTURAIS DO EMPREGO NA ECONOMIA BRASILEIRA: 1996 E 2002 COMPARADOS. Revista Brasileira de Estudos Regionais e Urbanos, [S. l.], v. 1, n. 1, 2015. Disponível em: https://www.revistaaber.org.br/rberu/article/view/1. Acesso em: 26 set. 2022.
Share |