DIFERENÇAS REGIONAIS DE CRESCIMENTO ECONÔMICO NO BRASIL: A IMPORTÂNCIA DA ESPECIFICAÇÃO DE CAPITAL HUMANO

Autores

  • Fernanda Mendes Bezerra Doutora em Economia pelo (PIMES/UFPE)
  • Francisco de Sousa Ramos Professor Doutor do Departamento de Economia (PIMES/UFPE)

Resumo

Capital Humano pode ser definido como os atributos que as pessoas têm ou adquirem que as tornam mais produtivas no contexto econômico, como por exemplo, treinamento no trabalho, escolaridade, gastos com saúde e gastos com migração para aproveitar oportunidades em outros mercados de trabalho. A despeito da amplitude do conceito, é praxe utilizar variáveis de escolaridade para representar tal capital em estudos de crescimento econômico. Este artigo busca explorar o fato que as diferentes medidas de
escolaridade, como por exemplo, Taxa de Alfabetização, Taxa de Matrícula e Anos Médios de Estudo, podem ser melhor adequadas para representar a relação entre escolaridade e estoque de Capital Humano. A partir dessa constatação, Wößmann (2003) propõe um indicador de
Capital Humano que incorpora retornos decrescentes aos anos de estudo e diferenças na qualidade da escolaridade recebida, que parece ser mais consistente com a Teoria do Capital Humano, como proposta por Schultz (1961). Dessa forma, o objetivo desse artigo é estimar indicadores de Capital Humano baseados na escolaridade para as Unidades Federativas do Brasil e mostrar como essas diferentes especificações pode conduzir a diferentes resultados quanto à importância do Capital Humano para explicar o assimétrico desenvolvimento regional no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-02-06

Como Citar

BEZERRA, F. M.; RAMOS, F. de S. DIFERENÇAS REGIONAIS DE CRESCIMENTO ECONÔMICO NO BRASIL: A IMPORTÂNCIA DA ESPECIFICAÇÃO DE CAPITAL HUMANO. Revista Brasileira de Estudos Regionais e Urbanos, [S. l.], v. 2, n. 2, 2015. Disponível em: https://www.revistaaber.org.br/rberu/article/view/20. Acesso em: 29 set. 2022.
Share |