ANÁLISE DAS MICRORREGIÕES NORDESTINAS COM SINAIS POTENCIAIS DE AGLOMERAÇÕES PRODUTIVAS

Autores

  • Renata de Melo Caldas Estudante de Graduação da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE )
  • Joao Policarpo Rodrigues Lima Professor Associado do Departamento de Economia (PIMES/UFPE ) Pesquisador do CNPq.

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo analisar algumas mudanças que
ocorreram no Nordeste a partir da abertura econômica, na década de 1990, sob o enfoque espacial e setorial, a fim de definir as regiões que apresentam possíveis sinais de clusterização. Mudanças no papel do Estado, estabilização monetária e medidas de desregulamentação implantadas no país foram algumas das características do período em análise. O trabalho tem como referencial dois indicadores: o quociente locacional (QL) e o Índice Setorial de Escolaridade (IRH), cujas informações foram obtidas a partir da base de dados da Relação Anual de Informações Sociais – RAIS. Por meio desses cálculos foi possível identificar e mapear as áreas que apresentam maior grau de dinamismo na indústria de transformação e extrativa mineral, no período referente a 1995 e 2005. A partir daí pode-se fazer uma análise mais detalhada das aglomerações produtivas, apontar as regiões que já apresentam essas características, bem como indicar as possíveis tendências comportamentais
dessas regiões.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-02-06

Como Citar

CALDAS, R. de M.; LIMA, J. P. R. ANÁLISE DAS MICRORREGIÕES NORDESTINAS COM SINAIS POTENCIAIS DE AGLOMERAÇÕES PRODUTIVAS. Revista Brasileira de Estudos Regionais e Urbanos, [S. l.], v. 2, n. 2, 2015. Disponível em: https://www.revistaaber.org.br/rberu/article/view/24. Acesso em: 29 set. 2022.
Share |