O SISTEMA DE INDICADORES DE VULNERABILIDADE FAMILIAR - SIVF DO MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO, SP

Autores

  • Raul Aragao Martins UNESP - Universidade Estadual Paulista
  • Jorge Oishi Universidade Federal de São Carlos
  • Antonio Jose Manzato UNESP - Universidade Estadual Paulista
  • Fernando Ferrari UNESP - Universidade Estadual Paulista
  • Luiz Carlos Baida UNESP - Universidade Estadual Paulista
  • Emilia Toledo Leme Prefeitura Municipal de São José do Rio Preto, SP

Resumo

A construção de índices que indiquem desenvolvimento
social e ou qualidade de vida tem se aperfeiçoado muito nos últimos anos, especialmente os criados a partir de base de dados gerais, como os que utilizam dados censitários do IBGE. Estes índices têm o problema de defasagem temporal, pois o censo nacional é realizado a cada dez anos.
Uma solução para esta questão é a realização de estudos amostrais que
permitem, a um custo relativamente baixo, ter-se dados confiáveis e que
refletem a situação no momento da sua realização. A cidade de São José do Rio Preto, localizado no interior do estado de São Paulo, Brasil, realizou um diagnóstico social, de cunho amostral, levantando 100 variáveis, tendo como base os conceitos de Seguranças Básicas preconizadas no NOB/SUAS do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS). Esta base de dados além de mostrar a situação social do município permitiu a construção do sistema de indicadores de vulnerabilidade familiar – SIVF. Resultados mostram o SIVF por regiões administrativas o que permite que a municipalidade planeje e execute políticas voltadas para as regiões com maiores problemas e, posteriormente tenha uma base para avaliar o impacto das ações realizadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-02-06

Como Citar

MARTINS, R. A.; OISHI, J.; MANZATO, A. J.; FERRARI, F.; BAIDA, L. C.; LEME, E. T. O SISTEMA DE INDICADORES DE VULNERABILIDADE FAMILIAR - SIVF DO MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO, SP. Revista Brasileira de Estudos Regionais e Urbanos, [S. l.], v. 3, n. 2, 2015. Disponível em: https://www.revistaaber.org.br/rberu/article/view/34. Acesso em: 29 set. 2022.
Share |