O Desastre Ambiental na Barragem de Fundão em Mariana–MG e seus Efeitos Econômicos e Sociais em Minas Gerais e no Espírito Santo

Autores

  • Marilia Firmiano IPECE
  • Guilherme Irffi Universidade Federal do Ceará

DOI:

https://doi.org/10.54766/rberu.v14i3.711

Palavras-chave:

Rio Doce, Mariana, Avaliação de impacto

Resumo

O desastre ambiental iniciado em novembro de 2015 em Mariana (MG) provocou uma onda de rejeitos que percorreu os cursos do córrego Santarém e dos Rios Gualaxo Norte e do Carmo até o Rio Doce, seguindo até sua foz em Linhares (ES), deixando parte dos rejeitos no reservatório da hidrelétrica Risoleta Neves e no trecho entre Candonga e Usina Hidrelétrica Baguari. Esta pesquisa analisa a existência de impactos econômicos e sociais desse desastre por meio do modelo de diferenças em diferenças com PSM. Os resultados demonstraram que, no curto prazo, nos municípios localizados próximos à região do desastre, houve impacto negativo sobre as medidas de fluxo escolar (aprovação/reprovação). Também se encontram evidências de impacto negativo sobre PIB dos municípios afetados. Por outro lado, não se verifica diferença significativa sobre o número de internações, entretanto, pelo caráter tóxico da lama, danos à saúde podem tornar-se evidentes no longo prazo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marilia Firmiano, IPECE

Diretora de Estudos de Gestão Pública (Digep) do Ipece. Mestrado em Economia (CAEN-UFC) e Graduação em Finanças – UFC.

Downloads

Publicado

2020-10-21

Como Citar

FIRMIANO, M.; IRFFI, G. O Desastre Ambiental na Barragem de Fundão em Mariana–MG e seus Efeitos Econômicos e Sociais em Minas Gerais e no Espírito Santo. Revista Brasileira de Estudos Regionais e Urbanos, [S. l.], v. 14, n. 3, p. 392–419, 2020. DOI: 10.54766/rberu.v14i3.711. Disponível em: https://www.revistaaber.org.br/rberu/article/view/711. Acesso em: 29 set. 2022.
Share |