CRESCIMENTO DA PRODUTIVIDADE DOS MUNICÍPIOS NORDESTINOS E A QUESTÃO ESPACIAL: A HIPÓTESE DOS FATORES ESPACIAIS COMUNS

Autores

  • Rodrigo Volmir Anderle Universidade Federal da Bahia
  • André Matos Magalhães PIMES-UFPE
  • Roberta de Moraes Rocha PIMES-UFPE; PPGECON-UFPE/CAA

Resumo

O presente estudo teve como objetivo principal testar a hipótese de convergência da produtividade entre os municípios nordestinos, considerando o seu transbordamento espacial e a dependência dos fatores de produção entre municípios vizinhos. Adota-se a mesma estratégia empírica de Lall e Shalizi (2003), considerando, porém, tanto o setor formal quanto o informal, com base nos Censos Demográficos (1991, 2000 e 2010). Os resultados apontam para um efeito positivo da dependência espacial entre o crescimento da produtividade: municípios são beneficiados pelo crescimento da produtividade dos seus vizinhos. Adicionalmente, a estimação do modelo econométrico Durbin-Espacial confirma a hipótese dos fatores comuns: municípios vizinhos concorrem por fatores de produção devido à sua escassez na região.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-07-20

Como Citar

ANDERLE, R. V.; MAGALHÃES, A. M.; ROCHA, R. de M. CRESCIMENTO DA PRODUTIVIDADE DOS MUNICÍPIOS NORDESTINOS E A QUESTÃO ESPACIAL: A HIPÓTESE DOS FATORES ESPACIAIS COMUNS. Revista Brasileira de Estudos Regionais e Urbanos, [S. l.], v. 12, n. 1, p. 90–109, 2018. Disponível em: https://www.revistaaber.org.br/rberu/article/view/233. Acesso em: 26 set. 2022.
Share |

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)