POBREZA E DESIGUALDADE DE RENDA NAS CIDADES MÉDIAS BRASILEIRAS

Autores

  • José Simão Filho Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)
  • Ricardo da Silva Freguglia Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)
  • Igor Vieira Procópio Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)

Resumo

Este artigo analisa comparativamente os índices de pobreza e de desigualdade de renda das cidades médias brasileiras, buscando-se identificar o componente de maior eficácia na redução da pobreza. A partir dos dados do Censo do IBGE para o ano de 2000, utiliza-se a decomposição de Ravallion (1992) para analisar a estratégia ótima de política pública com o objetivo de reduzir a pobreza aos níveis acordados nas Metas do Milênio. Os principais resultados obtidos evidenciam que, apesar da diversidade existente entre os índices de pobreza, as cidades médias apresentaram uma uniformidade com relação aos índices de Gini, que são muito elevados (média de 0,59). Além disso, há uma rigidez da redução da pobreza relativa aos aumentos na renda média. Desta forma, a melhor opção para atingir o objetivo sobredito é criar mecanismos de redução da desigualdade de renda, que pode ser explicada em grande medida pelos atributos de escolaridade, posição na ocupação, migração e idade na maioria das cidades estudadas. Este resultado é confirmado pelos resultados significativos obtidos pelo teste multivariado de MQO.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-08-22

Como Citar

SIMÃO FILHO, J.; FREGUGLIA, R. da S.; PROCÓPIO, I. V. POBREZA E DESIGUALDADE DE RENDA NAS CIDADES MÉDIAS BRASILEIRAS. Revista Brasileira de Estudos Regionais e Urbanos, [S. l.], v. 6, n. 1, p. 16–36, 2015. Disponível em: https://www.revistaaber.org.br/rberu/article/view/79. Acesso em: 29 set. 2022.
Share |