MATRIZ INTERESTADUAL DE INSUMO-PRODUTO PARA O BRASIL: UMA APLICAÇÃO DO MÉTODO IIOAS

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Eduardo Amaral Haddad
Carlos Alberto Gonçalves Júnior
Thiago Oliveira Nascimento

Resumo

O presente artigo apresenta o processo de estimação de um sistema inter-regional de insumo-produto para os 26 estados brasileiros e o Distrito Federal em condições de informação limitada, utilizando o método IIOAS. O IIOAS é consistente com a matriz de insumo-produto nacional e pode ser construído para qualquer país que publique suas TRUs e possua um sistema de informações setoriais regionalizadas. Posteriormente, analisaram-se as relações comerciais e as estruturas produtivas de cada UF. São Paulo e Rio de janeiro mostraram-se os estados mais autossuficientes. Já Roraima e Tocantins foram os que apresentaram os níveis de autossuficiência mais baixos. No que diz respeito à interdependência regional, Roraima e Acre foram os estados cuja produção apresentou menor dependência em relação à demanda final de outros estados, já Amazonas, Espírito Santo e Mato Grosso foram os estados em que a demanda final de outras UFs e do exterior mais influencia a produção local.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
HADDAD, E. A.; GONÇALVES JÚNIOR, C. A.; NASCIMENTO, T. O. MATRIZ INTERESTADUAL DE INSUMO-PRODUTO PARA O BRASIL: UMA APLICAÇÃO DO MÉTODO IIOAS. Revista Brasileira de Estudos Regionais e Urbanos, v. 11, n. 4, p. 424-446, 12 fev. 2018.
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Eduardo Amaral Haddad, Universidade de São Paulo - FEA/USP

Professor Titular do Departamento de Economia da Universidade de São Paulo FEA-USP.

Carlos Alberto Gonçalves Júnior, Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Campus Toledo.

Professor do Departamento de Economia da Universidade Estadual do Oeste do Paraná.Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Economia da Universidade de São Paulo - FEA/USP.